Voltar

Um Rio Olímpico

postado em 16 de August de 2012 Blog Imob News Nenhum comentГЎrio

Chegou a nossa vez! Com o fim dos Jogos Olímpicos de Londres, o Rio de Janeiro já vive a expectativa. Será que vamos corresponder aos anseios de milhões de pessoas em 2016? Para que tudo saia dentro do esperado, questões como infraestrutura e mobilidade urbana devem ser priorizadas. A estratégia é planejar, assim como fez Barcelona para os Jogos Olímpicos de 1992, culminando até hoje como uma grande referência.

Os preparativos para uma das maiores competições do mundo contam com projetos cujos gastos podem chegar a R$ 29,5 bilhões para reformar e construir novas instalações esportivas. Durante os jogos, em 2016, mais de 10.500 atletas, de aproximadamente 205 nações, estarão no Rio de Janeiro. Além deles, já é esperada a presença de milhares de profissionais de imprensa e de inúmeros apreciadores das modalidades a serem praticadas durante o evento, o que garante uma grande movimentação no turismo brasileiro.

Para acompanhar essas mudanças, investimentos já estão sendo realizados em toda a cidade. Bons exemplos são as Vilas Olímpicas, que atendem crianças e jovens cariocas. Contando com salas de aula, refeitório e espaços para os mais variados esportes, o projeto tem a intenção de integrar os moradores à nova realidade da cidade. Outra iniciativa é o programa Morar Carioca, cujo objetivo principal é a urbanização de algumas favelas. Com o orçamento de R$ 8 bilhões, o intuito do programa é transformar mais de 1.000 assentamentos informais do Rio de Janeiro em bairros com acessibilidade, serviços públicos adequados e integração social, até 2020. Outro ponto da cidade que passará por mudanças é a Zona Portuária. Através do projeto Porto Maravilha, R$ 7,8 milhões serão investidos na revitalização da região, que abrigará inúmeras instalações, como a Vila de Mídia e o Centro de Tecnologia dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos.

O setor imobiliário está profundamente inserido no legado positivo que o Rio poderá deixar para seus habitantes. O setor procura investir em áreas que apresentem boa malha viária, próximas de modais de transporte urbano. Neste sentido, a Zona Oeste está cada vez mais valorizada e vem sendo ocupada por novos empreendimentos imobiliários. Obras como a Transcarioca, a Transolímpica e a Transoeste, além da Linha 4 do metrô, levam investimentos múltiplos para a região. Além disso, o Rio passa por um momento de mudança de paradigma. Antes, as pessoas precisavam, necessariamente, ir ao Centro ou a Zona Sul para ter acesso a alguns serviços. Hoje, diversas regiões da cidade funcionam como ‘microcentros’, com toda a facilidade oferecida por escolas de alto padrão, universidades, serviços médicos e hospitalares e comércio variado.

O planejamento urbano moderno procurar agrupar na mesma região moradia, trabalho e lazer. Em princípio, obras de infraestrutura viária impactam no trânsito e na rotina das pessoas. Há que se ter em mente que as benfeitorias vão proporcionar uma cidade mais organizada com o tempo. Com isso todos ganham: a população, o setor empresarial e os governantes.

Fonte: Portal VGV

ComentГЎrios