Voltar

Mercado imobiliário brasileiro atinge recorde de investimento estrangeiro

postado em 12 de November de 2012 Blog Imob News Nenhum comentГЎrio

O mercado imobiliário brasileiro apresentou recorde no valor de investimentos estrangeiros, aponta estudo semestral elaborado pela Ernst & Young Terco (EYT). Atualmente, o PIB do setor é superior a R$ 170 bilhões por ano e pode chegar, em menos de uma década, a R$ 270 bilhões. Hoje, há um montante de capital estrangeiro entre R$ 5 bilhões a R$ 10 bilhões para projetos do mercado imobiliário. O valor é recorde, mas ainda assim menor do que o necessário, sobretudo quando se olha setor habitacional do país.

No entanto, o Brasil atrai cada vez mais investimentos para o mercado imobiliário. Os pontos positivos não são apenas a grande demanda e o aumento da renda, mas também a maior lucratividade para quem constrói por aqui. A margem bruta operacional do mercado imobiliário no Brasil é quase o dobro do que em países como os EUA e a China. Além disso, deve-se considerar o sistema de financiamento habitacional brasileiro mais seguro, que impede grande parte das atitudes que levaram o mercado dos Estados Unidos ao colapso em 2008 – como a possibilidade de financiar mais de uma vê o mesmo imóvel.

Com isso, apesar da crise financeira global, o Brasil continua a receber investimentos estrangeiros, aparecendo à frente, além da China e dos EUA, da Alemanha, França, Canadá, Índia e Japão. No recente estudo da Ernst & Young, 60% dos líderes de multinacionais estrangeiras disseram acreditar em um cenário positivo para investimentos no país em um futuro próximo. Além disso, 30% esperam um crescimento expressivo do mercado imobiliário e de construção dentro de dois anos.

O estudo semestral ainda afirma que, enquanto o volume de capital dos países desenvolvidos é 4,3 vezes maior que o tamanho de seus PIBs, na América Latina esse volume é 1,5 vezes maior. A EYT acredita que estes fatores indicam o tamanho da escassez de capital nos países em desenvolvimento, o que, consequentemente, aumenta o preço do capital nesses mercados.

Além disso, os investidores encontram nos países desenvolvidos uma concentração excessiva de capital, restrições de mão de obra e retorno menores. Nos mercados emergentes, a situação é oposta, afirma a EYT: há estabilidade econômica, segurança institucional e renda, além de a relação risco-retorno dos investimentos ser muito menor.

A expectativa positiva para os investimentos imobiliários no país é reforçada também pelas obras de infraestrutura da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016. A exploração do petróleo e do pré-sal também são apontados pela EYT como um dos atrativos para os investidores estrangeiros.

As projeções da EYT afirmam que se o crescimento da economia brasileira continuar nos níveis atuais haverá um descompasso entre a oferta e a demanda entre 2012 e 2014, o que pode provocar volatilidade de preços. Porém, a redução da demanda em 2012 não altera os preços em que os vendedores estão dispostos a oferecer.

A redução da volatilidade dos preços e a aproximação entre oferta e demanda pode acontecer caso o PIB alcance uma retomada de crescimento em 2013 e 2014. Para o mercado de galpões industriais, houve aumento nos preços dos alugueis e de compra, principalmente nos grandes centros. As alterações deixaram o mercado aquecido, conclui a pesquisa da EYT.

Fonte: Pini web

ComentГЎrios