Voltar

Força e solidez do mercado imobiliário carioca

postado em 8 de August de 2012 Blog Imob News Nenhum comentГЎrio

O mercado imobiliário da cidade do Rio de Janeiro passa por um momento de grande desenvolvimento. Investimentos em infraestrutura e mobilidade, revitalização de imóveis antigos e projetos de sustentabilidade são alguns dos fatores que têm colaborado para a valorização dos preços e para o aumento do número de empreendimentos no segmento.

Só de 2001 a 2010, por exemplo, os preços de imóveis residenciais e comerciais tiveram uma valorização de 400% e 700%, respectivamente, segundo pesquisa do Secovi Rio. Além do mais, as obras e os investimentos que preparam a cidade para a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 têm tido papel fundamental na expansão do mercado imobiliário nos últimos anos. Nesse cenário, o crescimento das Zonas Norte e Oeste, assim como do Centro, chama a atenção.

Um dos principais motores do desenvolvimento dessas regiões são os projetos de implantação de quatro corredores de BRT (Bus Rapid Transit), sistema de transporte público com ônibus articulados, que operam em velocidade maior do que uma linha de coletivo comum. Desenvolvidas pela Prefeitura do Rio de Janeiro, as vias expressas TransOeste, TransCarioca, TransOlímpica e TransBrasil ajudarão a mitigar um dos principais problemas da cidade: a baixa mobilidade urbana. Com o transporte mais rápido e seguro entre os bairros, muitos terrenos do município, principalmente os da Zona Norte e Oeste, serão valorizados, contribuindo ainda mais para o fortalecimento do setor.

Vale mencionar ainda os investimentos municipais em projetos de revitalização da Avenida Brasil, responsável pelo maior fluxo diário da cidade, com circulação de mais de 250 mil veículos por dia. O mais recente deles é a Lei Complementar n° 116, de 25 de abril de 2012, que visa flexibilizar as normas urbanísticas de uso e ocupação do solo da região. Assim, além de reverter o esvaziamento econômico e a degradação de imóveis dessa importante avenida, o incentivo permitirá o desenvolvimento de empreendimentos mistos, ou seja, aqueles que podem ser utilizados para mais de uma finalidade, como é o caso de prédios residenciais que também possuem escritórios e áreas para comércio variado.

O processo de retrofit de imóveis antigos é mais uma tendência que tem ganhado força no Rio de Janeiro, especialmente na área portuária, que deve receber mais de R$ 5 bilhões em investimentos até 2015. Nesse quesito, destaca-se o projeto Porto Maravilha, cujo objetivo é reurbanizar os 5 milhões de m2 da região por meio da ampliação, articulação e requalificação de seus espaços públicos. Serão implantados e/ou aprimorados novos padrões de serviços urbanos (como coleta seletiva de lixo), 17 km de ciclovias e 650 mil m2 de calçadas, entre outras ações.

A adoção de princípios de sustentabilidade nos empreendimentos também tem crescido no mercado. Além de ser um dos pontos centrais do projeto Porto Maravilha, que aumentará em 400% a área verde do local, as diretrizes sustentáveis inspiraram a criação do certificado Qualiverde. Proposto pela gestão municipal, o selo incentiva o desenvolvimento de prédios verdes – obras construídas e projetadas com impacto ambiental mínimo – por meio da concessão de benefícios fiscais, como descontos de até 50% ou mesmo isenção de IPTU e ITBI durante as obras e após o Habite-se.

Com uma oferta generosa de projetos e incentivos ao setor, não há dúvidas de que o Rio de Janeiro está pronto para se transformar em referência de urbanização e desenvolvimento para o País e para o restante do mundo. O crescimento experimentado pelo segmento na última década é, inclusive, prova da força e solidez do mercado carioca. Esse é o momento, portanto, de intensificarmos nossos esforços e garantir a continuidade dessa trajetória de sucesso.

Fonte: Sinduscon Rio

ComentГЎrios